Encerradas

A trajetória de Jesus de Nazaré, sob o olhar do artista Wandecok Cavalcanti (11/03 – 11/05/2017): Wandecok Cavalcanti de Almeida, natural de Caruaru-Pernambuco, é autodidata e com facilidade de absorver fotograficamente as figuras por ele estudadas nas igrejas e museus dos estados de Pernambuco e Bahia, começou a trabalhar com argila em 1978 na cidade de Tracunhaém-Pernambuco, onde desenvolveu uma forma simples de produzir suas esculturas sacras de estilo barroco. Com a curadoria de Jorge Brandão, a mostra expôs obras do artista Wandecok Cavancanti que, utilizando barro de várias procedências e cores, nos apresentou a sua visão da Trajetória de Jesus de Nazaré, desde a anunciação até a cruz, ressuscitando e ascendendo. Muitos museus, tanto do Brasil como do exterior, tem suas obras nos acervos. Desde 1981 Wandecok Cavalcanti participa de diversas exposições nacionais e latino-americanas em galerias particulares e espaços públicos entre eles: a Galeria da Fundação Joaquim Nabuco (Pernambuco), a Galeria Fly Time (Campo Grande, Mato Grosso do Sul), no Congresso Nacional (Brasília), Salão Negro. Galeria do Senado Federal. Wandecock possui reconhecimento nacional dentro da área escultórica artística barroca e, além de produzir obras que estão em galerias e coleções particulares, dedica-se a ministrar cursos, palestras e workshops em todo o país.

 

 

E o Verbo se Fez Carne (07/12/2016 – 05/03/2017): A exposição dividiu-se em duas salas. Uma das salas apresentou seis presépios, em escultura e alto-relevo, além de quadros e anjos relacionados à natalidade de Cristo. A mostra pretendeu evidenciar os símbolos do Presépio, como as figuras do Boi, do Burro, dos Anjos, da tríade “Maria, Jesus e José”, da Manjedoura, dos Pastores, das Ovelhas e dos Reis Magos, significando-os em suas diversas vertentes, incluindo também o sentido do Natal e a sua data comemorativa, 25 de dezembro. O segundo ambiente é o espaço educativo, que é tematizado periodicamente.  Nele foram realizadas as atividades de arteterapia, ministradas pela Pedagoga e Psicóloga Marcia Egas, e o Curso de Violão, também todos os sábados com os professores Eduardo Varela e Lenon Rodrigues, em parceria com o Projeto Crescer (projeto social do Morro São Bento).

 

Arte Religiosa – da devoção doméstica à coletiva (05/01 – 04/12/2016): O homem é obra de arte e artista ao mesmo tempo. É de importância fundamental a arte na vida coletiva e na contemplação, que resulta do fato de que o próprio homem é “feito à imagem de Deus”, o Artista Divino. A arte religiosa brasileira estabelece um vínculo artístico e emocional com a nossa história, uma vez que a história do povo brasileiro é inseparável da religiosidade. O acervo que compõe a exposição são obras de feitura popular, nas quais encontram-se refletidos em suas características a cultura do povo, sejam elas esculturas, quadros, estandartes, oratórios, crucifixos, ou as próprias paulistinhas, feitas a partir da madeira, do barro, do metal, do tecido, da pedra e do gesso. Estimulados pela fé cristã e pelo anseio de se ter os santos devotos em casa, grande parte do povo brasileiro, por não ter condições financeiras para adquirir as imagens sagradas, importadas de Portugal e Espanha, ou feitas no Brasil por artistas de renome, tinha como fonte de inspiração as obras sacras das igrejas para a criação das suas próprias artes religiosas, destinadas ao culto doméstico. Se a arte sacra exprime o espiritual de uma maneira direta, a arte religiosa  é a manifestação do sagrado através da devoção popular. A arte sacra representa o espírito, e a arte religiosa o gênio coletivo, a alma.

 

Exposição fotográfica “Paisagens Urbanas” (17/05 – 25/11/2016): O fotógrafo Carlos Alberto é um jovem paraense que veio para a cidade de Santos em 2002, apaixonado pela cidade que adotou como lar, buscou retribuir através das lentes de sua câmera fotográfica. “Paisagens Urbanas” é um passeio pelos lugares icônicos da cidade de Santos, sua história e suas belezas naturais inseridas no contexto urbano. O que na correria do dia a dia passa despercebido, nas fotografias de Carlos passa a ser eterno.

 

Era uma vez um bosque… (20/09 – 20/11/2016): Inserida na 10ª Primavera de Museus, com o tema “Museus, Memórias e Economia da Cultura”. Comemorando a chegada da Primavera, o MASS compôs uma floresta estilizada em seu interior. Apresentou também os ensaios fotográficos de aves da Mata Atlântica, intitulado “Aves Livres”, por Lindolfo Souto, fotógrafo.

 

Beleza da cidade alta, nosso olhar – (17/05 – 26/08/2016): A proposta foi apresentar elementos simbólicos da paisagem cultural do Museu de Arte Sacra de Santos, sendo o Morro São Bento seu símbolo maior. A mostra das artes feitas pelas crianças do Morro São Bento, alusivas ao reconhecimento afetivo e histórico do seu território, esteve inserida na 14ª Semana de Museus, com o tema “Museus e paisagens culturais”.

 

Santos Devocionais – O barro com fé (14/11/2015 – 03/01/2016): A integração de materiais do nosso cotidiano como areia, ferro, vidro reciclado, parafina com a argila, fez com que surgissem novas    representações de santos contemporâneos. O propósito  dessa exposição foi trazer uma inovação na atmosfera religiosa provocando o encontro entre a tradição e a atualidade  através da  fé. A modelagem dos santos foi feita de forma simples, como a fé, mas com grande carga de energia. A ausência de  rosto definido faz com que o santo seja parte do  imaginário particular e único. As maneiras de se trabalhar  a argila, transformando-a em cerâmica, são infinitas, as que foram apresentadas são apenas algumas que visam  representar  os nossos santos de devoção e proteção.

 

Índia, Contemplação e Vida (22/08/2015 – 30/09/2015): Mostra fotográfica de Glauco Tavares e curadoria e edição de imagens por Juan Esteves. A Seleção que agora se mostra, de maneira inédita, se estrutura em trabalho apurado pelo tempo e pelo talento do fotógrafo. Sua Índia foge do clichê sem perder suas características mais importantes; seus retratos expõem um povo resiliente sem maneirismos típicos da imagem exótica calcada nos contrastes mais evidentes entre a miséria e a riqueza, a tecnologia mais contemporânea e seus antigos monumentos culturais.

 

Arte árabe: caligrafia e cultura material (21/03 – 10/06/2015): Com curadoria de Paulo Daniel Farah e promoção da Biblioteca e Centro de Pesquisa América do Sul – Países Árabes (BibliASPA), a mostra integrou o VI Festival de Cultura Árabe e trouxe para o MASS quadros, obras de caligrafia, artesanato, perfumes e incensos de diversos países dos Emirados Árabes Unidos.

 

Natal, um olhar fraterno e belo do Nascimento de Jesus (29/11/2014 – 25/01/2015): Os presépios que foram expostos foram frutos da parceria do Museu com as diversas paróquias da Diocese de Santos. O ciclo natalino é rico em elementos litúrgicos, simbólicos e repleto de cultura popular. E, por isso, a proposta foi valorizar as tradições populares, assim como o presépio que é na sua essência um encontro. Encontro de Deus com a humanidade. Encontro de povos, de culturas, encontro da humanidade. Com esta dinâmica, o MASS ampliou seu relacionamento com a comunidade santista e seus visitantes a partir da cultura, da história e da religião, cultivando a tradição da montagem do presépio.

 

São Francisco de Assis (04/10/2014 – 25/01/2015): A exposição reuniu um rico e diversificado acervo de imagens que representam São Francisco de Assis, sob múltiplos contextos, como o santo da paz, o homem de Deus, o ser humano integrado à natureza, a pessoa aberta ao diálogo inter religioso, o irmão dos pobres, o patrono da ecologia e o cantor do pássaros. Grande parte das obras expostas são das coleções de Frei Rozântimo A. Costa, Fernando Gregório, Santuário Santo Antônio do Valongo, Ordens Terceiras do Valongo e Embaré, e de Francisco Surian.

 

Portugal em poesias de imagens (28/09/2014 – 20/01/2015): Exposição fotográfica, com fotos de paisagens naturais e humanisticas de várias cidades portuguesas, registradas pela fotógrafa Joanna Rocha, juntamente com poemas de Teresa Teixeira. A mostra  fez parte na 8ª Primavera dos Museus, com o tema “Museus Criativos”.

 

Todos os Santos Jogam: a proteção do sagrado e a religiosidade no futebol brasileiro (21/06/2014 – 28/09/2014): Diz o ditado popular que política, religião e futebol não se discutem. Porém, no Museu de Arte Sacra de Santos, em parceria com a Federação Paulista de Futebol – FPF, religião e futebol foram  temas de uma exposição temporária que mostrou a estreita e harmônica relação entre essas paixões nacionais. A mostra apresentou cenas do cotidiano dos torcedores e jogadores nas mais diversas situações da vida com cenas capturadas pelas lentes das câmeras fotográficas, objetos e vídeos. A exposição ocorreu durante a Copa do Mundo, sendo assim, pretendeu-se estabalecer o diálogo e o respeito às diferenças, incentivar a prática esportiva, desenvolver e aprofundar a importância da religiosidade, da cultura e da fraternidade universal.

 

Santo Anjo do Senhor … (09/11/2013 – 02/02/2014): Valorizando a popular devoção aos anjos de Deus, através de seu acervo, o MASS mostrou a riqueza devocional e artística dos mensageiros divinos. A exposição temporária foi dividida em quatro partes: no claustro (espaço de meditação e caminhada), foram expostos painéis de tecido com fotos de anjos em diversos contextos. Na Sala Celestial, o espaço foi dedicado aos anjos citados na Sagrada Escritura, destacou a criação dos anjos e estes na vida de Jesus. Na Sala Profana foi apresentado anjos na vida da humanidade, no cotidiano, do nascimento até a morte. Por fim, a Sala de Leitura com a palavra falada, escrita e encarnada, foi disponibilizado um rico acervo literário sobre a temática “Anjos”. Na mostra foram expostas pinturas, esculturas, talhas, vídeo, fotografias e livros, peças do acervo do MASS e objetos de algumas igrejas da Diocese de Santos.

 

PASSOS O Caminho de Santiago de Compostela em Fotos (01 – 30/04/2014): Exposição fotográfica, de autoria do fotografo Leandro Ayres, que apresentou cenas e paisagens referentes a sua viagem pelo histórico e sagrado caminho de Santiago de Compostela, na Espanha, no período de 18 de outubro a 11 de novembro de 2012. Para produzir uma série de imagens inéditas que fizeram parte desta exposição, o fotografo peregrino percorreu os 790Km do itinerário entre as cidades de Roncesvales e Santiago de Compostela. Com esta exposição, o MASS reafirma o seu compromisso de divulgar a arte, e de modo especial, a arte sacra, bem como o de valorizar os artistas da região.

 

Menino Deus (07/12/2013 – 20/02/2014): A infância de Jesus se insere no ciclo litúrgico do Natal e neste período os temas são divididos em quatro episódios narrados em passagens do evengelho: a Natividade, a Apresentação do Menino no Templo, a Fuga para o Egito e o Menino Jesus entre os Doutores. Valorizando o acervo do museu, a exposição pretendeu mostrar as esculturas tradicionais do Menino Deus alusivas a diversos contextos.

 

Face africana – Máscaras e devoções (24/09/2013 – 27/10/2013): Exposição com diversas máscaras africanas e as devoções populares a Nossa Senhora do Rosário, São Benedito, Santo Antônio de Categeró e a Santa Bakhita. A mostra integrou a 7ª Primavera de Museus, cujo tema era “Museus, memória e cultura afro-brasileira”. Pretendeu-se expor a devoção católica cultuada pelo povo afro-brasileiro.

 

Dom David – Feito Tudo para Todos (11/05/2013 – 28/10/2013): Realizada em homenagem aos 50 anos da chegada de Dom David à Diocese de Santos, em 22 de junho de 1963, quando assumiu como Bispo Coadjutor com direito a sucessão de Dom Idílio José Soares. A exposição apresentou parte do rico acervo material e intelectual que pertenceu a Dom David, como: textos, fotos, objetos de uso pessoal, paramentos litúrgicos, diplomas, comendas etc.,que registram sua trajetória familiar, sua vida de seminarista, sacerdote, atividade pastoral na Diocese de Santos, no Brasil e no exterior.

 

1º Salão de Arte do MASS (06/04/2013 – 06/05/2013): Foram expostas obras de vários artistas plásticos de renome da região e do Brasil, cujo tema foi “Ora pro nobis”, o Sagrado pela visão do fiel, sendo que as obras que mais emocionaram os espectadores foram premiadas. Com esta proposta a intenção era provocar o artista a exteriorizar o que é Sagrado do ponto de vista de sua própria fé. A releitura de uma imagem religiosa, a composição plástica de uma cena bíblica ou mesmo uma cena cotidiana em que as personagens principais assumem a posição de santidade através de seus atos.

 

 

Rua Santa Joana D'Arc, 795 - Morro do São Bento - Santos - Contato: (13) 3219-1111